5 de julho de 2022
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Santa Missa marca a abertura do Sínodo dos Bispos, na Diocese de Paulo Afonso

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
2

Na quarta-feira, 10 de novembro, na Diocese de Paulo Afonso, aconteceu a Missa de Abertura da etapa diocesana do Sínodo dos Bispos 2021-2023. Com o tema “Por uma Igreja Sinodal: Comunhão, Participação e Missão”, o Papa Francisco convida a todos, para que sejam guiados pelo o Espírito Santo, e conceda a graça de “caminhar juntos” e nos ouvirmos mutuamente, sendo este o inicio de um discernimento sobre o nosso tempo.

 

A Missa de abertura do Sínodo na Diocese de Paulo Afonso, foi presidida pelo Bispo Dom Guido Zendron, com a presença de todo o Clero. Durante a homilia, o Bispo reflete sobre o caminho sinodal, como uma grande oportunidade de conversão pessoal e comunitária, renovando o desejo profundo de todos serem santos e a viverem uma vida de comunhão uns com os outros. Dom Guido esclarece a todos, que o caminho sinodal não tem a pretenção de criar uma outra Igreja, “É a Igreja de sempre, que vive no tempo. É o Povo de Deus que continua na história, sendo a presença nova de Jesus”, explicou.

 

Escuta e Fraternidade

O Bispo, comunica aos fiéis que o caminho sinodal, não pode ser autorreferencial, “Jesus sempre afirmava que o seu pertencer, era do Pai, que seu alimento era fazer a vontade do Pai, que a vida d’Ele era dar a vida para realizar a obra do Pai”, disse. Em reflexão, Dom Guido, destaca a importância da participação das pessoas, dos movimentos e pastorais, no caminho sinodal, promovendo a maior possibilidade de escuta e verdadeira fraternidade, convidando principalmente as pessoas que se afastaram da Igreja, para que sejam acolhidas e ouvidas suas propostas e pedidos.

 

Dom Guido Zendron, bispo diocesano

A sinodalidade é realmente um grande presente, que nos permite valorizar e aprofundar o Sentir com a Igreja, para vivermos com gratidão o dom da comunhão, Um só Coração e uma só Alma (At 4,32). É um caminhar juntos, com tantas realidades diferentes entre elas, para podermos juntos enfrentarmos os desafios que de forma mais radical, se apresentam na vida das pessoas e da Igreja, e diante nas quais não podemos fechar os olhos. Pois a partir do Batismo, todos somos pedras vivas da Igreja, e nós e o mundo todo, precisamos de uma Igreja viva, que seja luz, sal e fermento, segundo a vontade, pela qual foi constituída por Jesus Cristo.

 

 

 

Igreja em Saída

Concluindo, Dom Guido motiva toda a Diocese, Paróquias e Comunidades a ir ao encontro, uns aos outros, com ouvidos atentos e coração cheio de caridade, para que está caminhada sinodal, seja de uma “Igreja em Saída”, por uma caminhada missionária afim de escutar as propostas e pedidos à Igreja, por meio de todas as pessoas, sendo esta, uma forma de partilha e colaboração com o desenvolvimento da Igreja.

 

 

Fotos: Nildinho Ventura

Por Robson Oliveira / Pastoral da Comunicação, Diocese de Paulo Afonso – BA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.