27 de outubro de 2020
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Assembleia Diocesana 2019: “A missão começa a partir do seu encontro com Jesus”, diz Monsenhor Antônio Catelan

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
0cb9c80b-124e-4a67-bbb1-7ebb0e24778f

GLÓRIA – Com mais de trinta anos de experiência, doutor em teologia, o monsenhor Antônio Luiz Catelan Ferreira participa da Assembleia Diocesana 2019, que será encerrada logo mais ao meio dia, no Centro Diocesano.

Antônio está comentando as diretrizes que foram estruturadas a partir da concepção da Igreja como “Comunidade Eclesial Missionária”, contidas no documento 109 da CNBB “Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. ”

Teólogo Monsenhor Antônio na Assembleia Diocesana 2019.

O monsenhor, que faz palestras Brasil afora há muitos anos diz que por um lado, fica feliz em perceber o entusiasmo de quem já tem uma certa caminhada na igreja, e que sua preocupação é com as pessoas que os leigos e padres precisam trabalhar no dia a dia.

“Pessoas que às vezes não estão nem aí, que tem a sede no fundo do coração, mas que nem percebe que é sede de Deus, acha que é de dinheiro, acha que sede de prazer, de prestígio, e os leigos e padres precisam ajudar a essas pessoas a descobrirem que não, a sede mais profunda da vida é outra.”

“Para começar a missão, saia a partir do primeiro encontro com Cristo”

“A vida tem seu ritmo, se a gente for pensar assim: preciso estar plenamente preparado para depois começar a fazer uma atividade missionária, nunca estaremos. Eu há trinta anos, passados um pouco disso, estudo teologia, participo de congressos, escrevo artigos e posso lhe dizer, não conheço da teologia nenhum décimo. Então se a gente pensar assim, só os santos canonizados poderiam ir. Veja, a missão já começa com a experiência do encontro com Cristo – experiência de fé-, na medida em que vamos partilhando com outros, que vamos fazendo parte de um trabalho missionário, que vamos nos envolvendo com a comunidade, entendemos cada vez melhor como se deu aquele encontro, como se enraíza em nossa vida e que frutos vai dando. Daí nos sentimos mais preparados. Hoje, por exemplo, quando me lembro de certas coisas que fiz com boa intenção que não faria mais daquele jeito.

“A razão da existência da igreja é ajudar a pessoas a conhecerem Jesus”

“Se não fosse para isto Jesus teria fundado qualquer outra coisa. Quando falhamos nisso é uma tristeza e nós devemos ter cuidado para que isso aconteça.

Monsenhor Antônio disse ainda que a pressa é uma das coisas que se precisa abrir mão na missão.

“Perceba que as crianças assim que aprendem a andar, logo esquecem e só correm, e cai por conta disso. Então quando estamos no começo de uma experiência espiritual de conversão e do encontro com Cristo, a gente tem pressa e depois vamos amadurecendo e vemos que precisamos de mais serenidade. Quando cai uma chuva muito grande a água daquela chuva pouco aproveita, porque a água corre logo, mas quando passa dois ou três dias chovendo chuva mansa, pode chover menos na medida, mas o efeito é maior, então pressa é uma das coisas que a gente precisa abrir mão na missão. Temos que ter entusiasmo que é diferente.

Documento estudando na Assembleia Diocesana 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *