5 de julho de 2022
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

“O sacerdócio é um grande dom”, diz o bispo dom Guido em seus 41 anos de ordenação

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
57503242_2249696918478468_2171605004673089536_n

O bispo dom Guido Zendron, completou nesta quarta-feira 26, 41 anos da sua ordenação sacerdotal, onze de bispado todo dedicado à diocese de Paulo Afonso. No seu programa de rádio, Jesus Cristo Redentor dos Homens, fez, sobre seu ministério, a seguinte reflexão:

“Eu agradeço a Deus hoje, 26 de junho, quando tenho a Graça de Celebrar 41 anos de sacerdócio. Com efeito, em 1978 fui ordenado sacerdote em Trento. Desde aquele dia procuro viver, também com minha fragilidade, a resposta a esta preferência com a qual Jesus me quis e me quer mais perto do seu sagrado coração. Procurando também com meus limites ser um pouco um raio daquela humanidade do Bom Pastor que cheio de humildade, ternura e dedicação vem ao nosso encontro. A oração me ajuda a tomar consciência do grande dom que é o sacerdócio e ainda mais ser bispo; do grande dom que é ter amigos que compartilham a mesma fé, a mesma esperança e a mesma caridade. A oração em primeiro lugar, e o ministério sacerdotal, nos faz lembrar a grande aliança que o Senhor instituiu conosco através do sagrado coração de Jesus e de seu sangue, através do Cordeiro. A aliança de Deus para conosco não é superficial e nem se deixar condicionar a partir da nossa resposta. Ele está sempre à porta do nosso coração e aguardando o momento em que queremos abrir; em que nós conscientes da amizade com Deus através da igreja, deixamos o Espírito Santo entrar em nós. E ainda a oração nos faz entender que, através também do sacerdócio e ministério sacerdotal o povo consegue alcançar o perdão dos pecados e avançar continuamente no caminho da salvação. Por isso a responsabilidade nossa, bispos e padres é muito grande e vai além do simples fato de celebrar o sacramento. Nós precisamos deixar que o Espírito Santo nos ajude a revestirmos de Cristo, a sermos dentro da concretude da vida cotidiana presença de Cristo, pois o que muda a vida não as palavras ou discursos, mas a presença que ama a nossa vida, o nosso bem e a nossa verdadeira felicidade. Por isso nesses quarenta e um anos eu peço a cada um de vocês, meu irmão e minha irmã, que através da oração possa me ajudar a ser ainda mais configurado a Cristo Bom Pastor, e peço perdão pelas vezes que não consegui ser esse bom pastor, e ainda mais que juntos possamos dar testemunhos da beleza e da grandeza de Cristo Bom Pastor no meio de nós.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.