5 de julho de 2022
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Dom Guido diz que Dia da Caridade foi um exemplo de “esperança” para o país

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
804d4bfd-57e5-4f6e-a8dc-abd093806532

PAULO AFONSO– A equipe coordenada pelo comandante da 1ª Cia de Infantaria, tenente-coronel Cardoso, chegou às 7h da manhã, neste sábado 15,  à sede para embarcar em comboio com destino à área rural de Paulo Afonso, no povoado Sítio do Lúcio.

Cardoso, dom Guido, pastor Alex e Edna.

Estavam profissionais de saúde, cabeleireiros, assistentes sociais, imprensa e outros, para trabalhar no Dia da Caridade, prestando assistência às famílias carentes do Sítio e comunidades próximas.

O Dia C nasceu há mais de dois anos, ainda na gestão de major Kauê, quando ele reuniu o bispo dom Guido Zendron e pastores representantes das igrejas evangélicas, e Edna [espírita]para promoverem ações em comum.

Prefeitura de Paulo Afonso também colaborou com o Dia C

Dom Guido sugeriu então, em vez de um culto ecumênico, promover uma “ação ecumênica” com finalidade bem precisa: levar assistência social a pessoas que carecem de mais atenção na sociedade.

A ideia ganhou apoio irrestrito, e desde então, foi posta em prática, primeiro no município de Glória, e hoje em Paulo Afonso.

Daí os pastores, a comunidade católica e os outros seguimentos se organizaram para recolher alimentos não perecíveis que foram posteriormente organizados pela 1ª Cia e doados hoje.

No sítio do Lúcio

Quando o Exército chegou, por volta das 8h40, o bispo e o Padre Ednaldo já estavam na Escola Municipal 15 de novembro. Vale registrar que a prefeitura de Paulo Afonso colaborou com uma equipe do Bolsa Família e enviou a assessoria de comunicação; o 20º Batalhão da Polícia Militar mandou os coordenadores do projeto Superação, que levaram o cavalo Caramelo – as crianças montaram-no; com muitos soldados se organizou o atendimento.

Equipe de Equoterapia da PM, no Dia C, povoado Sítio do Lúcio.

Antes de começar a triagem dos assistidos, o comandante Cardoso, reuniu os religiosos e cada um falou um pouco da experiência compartilhada.

Para dom Guido, foi uma experiência que “mexeu profundamente com ele”, pois lembrou as Bem-aventuranças:

“Felizes os pobres de espírito, àqueles que aceitam se doar sem nenhuma pretensão; e depois de Jesus na sinagoga quando disse “Hoje se cumpriu essa palavra porque Cristo veio para cumprir não só para prometer. Aqui todos nós superamos a tentação da indiferença, aqui nos deixamos marcar; aqui é uma coisa linda e meu coração vibra mesmo, porque um dia de esperança para todo Brasil porque não estamos olhando qualidades de ninguém, nem competimos uns com outros, estamos olhando a humanidade e é um grande milagre.”

Profissionais de saúde, de beleza etc., no Dia C.

O comandante Cardoso estava particularmente satisfeito pela organização e disse que nos próximos dias fará um balanço do Dia da Caridade que terminou às 14h30.

Após esse pequeno discurso o bispo pediu que rezassem o Pai Nosso, e aconteceu o hasteamento da bandeira do Brasil com a execução do Hino Nacional.

Terminada essa pequena formalidade, as pessoas foram para uma fila, passar pela triagem para enfim, receber os devidos atendimentos.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.