5 de julho de 2022
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Dom Guido escreve uma carta aos fiéis sobre o ‘Dia da Caridade’ e pede “generosidade”

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
61550496_2327075614073931_6633318294201827328_n

Em unidade com a Igreja Católica do Brasil estamos vivendo a semana de Oração pela Unidade dos Cristãos que tem como tema: “Procurarás a Justiça, nada além da Justiça.” (Dt 16, 18-20).

A unidade foi o pedido que Jesus fez a Deus-Pai: “Que sejam um como nós somos um” para que todos aqueles que creem nele possam dar testemunho do seu infinito amor para conosco.

Jesus partia da realidade mais próxima que eram os apóstolos e percebia a dificuldade que eles tinham de viverem unidos, pois cada qual queria ser o melhor, queria ser o dono da verdade, queria que o próprio ponto de vista se tornasse o único, etc.

Uma realidade que às vezes encontramos nas nossas comunidades.

Mas durante a história da Igreja aconteceram divisões mais dramáticas que deram vida a novas Igrejas separadas e, às vezes, num duro confronto com a Igreja católica.

Existem ainda umas igrejas que hostilizam de forma infantil os católicos por causa do pouco conhecimento que os membros têm do cristianismo.

Com as igrejas mais sérias, o diálogo é mais aberto e fecundo e sempre mais frequentemente acontecem momentos de encontro e de oração.

Na nossa diocese temos vários exemplos de amizade e colaboração nas paróquias com pastores e fiéis de outras denominações religiosas.

Domingo passado o Papa Francisco falando do ecumenismo dizia:

“O ecumenismo não é chegar ao fim do jogo, das discussões. É preciso não só caminhar, mas andar juntos e rezar juntos. Temos na história o ecumenismo de sangue: quando matavam os cristãos não perguntavam: você é católico? Você é ortodoxo? Você é luterano? Eles perguntavam: você é cristão? Há o ecumenismo do testemunho, do sangue e depois o ecumenismo dos pobres, trabalhando juntos para ajudar os pobres, os doentes, os enfermos, como lemos no capítulo 25 de Mateus.

O ecumenismo se faz junto com as obras de caridade e querendo-se bem. Podemos caminhar juntos: unidade, fraternidade, mão estendida, não falar dos outros. Todos temos defeitos”.

Como gesto concreto do ecumenismo da caridade e deste caminho rumo à unidade queremos participar da Jornada da Caridade que será celebrada o dia 15 de junho no povoado Sítio do Lúcio, área rural de Paulo Afonso.

Coordenada pela 1ª Companhia de Infantaria, e com o envolvimento de várias expressões religiosas, fazemos o caminho de amizade e colaboração que é muito bonito.

Como gesto concreto, além da oração sempre mais profunda, peço que possamos participar com generosidade através da doação de alimentos não perecíveis que podem ser entregues nas secretarias das paroquias do centro, no BTN, e em Glória até o dia 13 deste mês.

Que Deus abençoe a cada um que quer responder ao Seu amor com a atitude do Bom Samaritano que, não quis ficar indiferente diante do homem ferido e abandonado no chão, mas assumiu a responsabilidade e o carregou para ser curado.

Nossa Senhora de Fátima, sempre atenta às necessidades dos seus filhos e filhas, interceda por nós.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.